EXU


Exu e Pombagira são polêmicos por natureza. Sua ação nunca foi bem compreendida por quem vive a religião de Umbanda, imagina então quem está vendo de fora?

Exus são entidades de energia mais densa que trabalham na Linha de Esquerda, são os espíritos que melhor nos entendem, pois conhecem o problema humano e estão mais próximos do nosso plano terrestre e tem algumas características parecidas com o ser humano encarnado, alguns sérios, outros risonhos e irônicos, mas sempre muito úteis.

São fundamentais na Umbanda para trabalharem com descarregos pesados, descarregando a assistência e médiuns, afastando energias negativas mais pesadas, afastando encostos (Quiumbas ou Obsessores) e desfazendo trabalhos prejudiciais (Magia negra) que foram feitos às pessoas, por isso são chamados de tropa de choque espiritual, os soldados na Umbanda.

As Pombo-Giras representam o lado feminino dos exus, a espontaneidade da mulher na sua essência, o íntimo, o desejo: feminilidade, fertilidade, sensualidade. Gostam de ser bem tratadas, mas nunca se vendem. Vaidosas, gostam de exibir suas vestes e pertences nas Festas de Exu onde dançam graciosamente, conduzindo a todos que assistem, a um clima de descontração e alegria, sem vulgaridade. São muito diretas e francas nas palavras, atuam muito na ajuda de amor, dando conselhos, gostam muito de conversar com o jeito delas, algumas mais sérias outras mais sorridentes, mas sempre muito sinceras.

Muitos acreditam que nossos amigos Exus são Demônios, maus, ruins, perversos, que bebem sangue e se regozijam com as desgraças que podem provocar. Está na hora de desmistificarmos a figura de Exu e derrubar definitivamente esses conceitos que não procedem. Exu é o princípio dinâmico, é a realização. Exu é o homem em movimento, é seu desejo manifestado, é aquilo que ele é! Exu, é o exercício sem barreiras de sua vontade e do livre arbítrio do próprio homem. É a energia que gira em espiral. É, na religião afrodescendente, o Deus do vigor, da realização e da fecundidade, pois isso é representado por um falo.

É um fenômeno divino que é a ferramenta por onde os guardiões trabalham suas energias.

Exu não faz mal a ninguém, mas joga para cima de quem merece, quem realmente é mau, o mal que essa pessoa fez a outra. Ele devolve, às vezes, até com mais força, os trabalhos que alguns fizeram contra outros. Por isso, algumas pessoas consideram esse Orixá malvado.

Existem entidades que se dizem Exu e que fazem somente o mau em troca de presentes aos seus médiuns ou por grandes e custosas obrigações, serviços. Não se engane, Exu que é Exu, não faz mal, a não ser com quem merece e além disso, quando ajuda a uma pessoa não pede nada em troca, a não ser que a pessoa tome juízo, se comporte bem na vida, acredite em Deus e tenha fé.

Exu gosta de rir, brincar com as pessoas, dizer alguns palavrões, (nem todos fazem isso), ser franco e direto, não faz rodeios, nem mente. Gosta de beber e fumar e ao contrário do que muitos pensam, a bebida e o fumo são peças de aproximação, fazendo com que as pessoas se identifiquem, fiquem mais descontraídas como se estivessem em uma festa. Caso não tenha bebida, ou fumo, ele trabalha do mesmo jeito, porque sua finalidade e ajudar aqueles que precisam.

Alguns Exus foram pessoas como: Políticos, Médicos, Advogados, Trabalhadores, Vadios, Prostitutas, Pessoas comuns, Padres, etc... que cometeram alguma falha e escolheram, ou foram escolhidos, a vir nessa forma para redimir seus erros passados. Outros, são espíritos evoluídos que escolheram ajudar e continuar sua evolução atendendo e orientando as pessoas e combatendo o mal. Assim, quem diz que os Exus são Demônios, na concepção de que são ruins, ou espíritos sem luz, baixos, não sabe o que está dizendo, ou não conhece a história de cada Exu, os porquês de sua ritualística, seu modo de trabalho ou sua missão. Não se julga um livro pela capa ou a pessoa pela sua aparência!

Em seus trabalhos, Exu corta demandas, desfaz trabalhos, feitiços e magia negra, feitos por espíritos malignos. Ajudam nos descarregos retirando os encostos e espíritos obsessores e os encaminhando para luz ou para que possam cumprir suas penas em outros lugares do astral inferior.

Seu dia é a segunda-feira. Sua bebida, cada um tem a sua. Sua roupa, quando lhe é permitido tem cores preta e vermelha. Não aceita sacrifícios de animais, mas se a pessoa quiser acender uma vela (preta e vermelha) na encruza, colocar charutos ou cigarros, cachaça ou outra bebida de agrado é bem-vindo. Pode-se colocar, também, rosas e champanhe para as moças, pois elas gostam.

Assim é Exu:

Às vezes temido, às vezes amado, mas sempre alegre, honesto e combatente da maldade no mundo.

Não deve haver preconceito quando falamos de Exu, devemos desmistificar a figura horrenda feita a respeito dele, impingindo-lhe a figura de demônio.

Sem Exu nada existiria, pois até o movimento do sangue é impulsionado por ele, assim como os ventos, o planeta, as águas e a própria luz do sol.

Exu deve ser louvado sempre em primeiro lugar com a maior reverência, pois é o mundo mais próximo de nós.